Você sabe o que é cyberbullying?

As crianças estão se conectando precocemente. Elas estão, desde que nascem, cercadas de dispositivos tecnológicos como smartphones e tablets e por isso mesmo, querem estar conectadas a web e às redes sociais cada vez “mais cedo”. Quanto mais intenso for uso dessas tecnologias e menor for a supervisão que os pais exercem, maior é o risco que essa criança seja vítima de comportamentos mal intencionados, como o cyberbullying.

Quando uma criança, ou adolescente utiliza os meios tecnológicos para constranger e atormentar os colegas, estamos diante de bullying virtual ou cyberbullying. O agressor geralmente conhece a vítima “de perto”, e se aproveita do aparente anonimato da “rede” para enviar mensagens, e-mails, fotos ou vídeos da vítima em situações constrangedoras, ou mensagens que visam agredi-la.

cyber-bullying- O objetivo do agressor ao fazer isso é humilhar ou destruir a reputação da vítima por meio de boatos, mentiras, comentários preconceituosos, étnicos ou de gênero. Isso também pode ser feito por meio de telefonemas, redes sociais, blogs ou vlogs. Um levantamento feito por uma ONG no Reino Unido, que entrevistou 10 mil pessoas de diversos países, revelou que 4 em cada 10 jovens é agredido virtualmente com frequência, sendo que 1 em cada 5 sofre intimidação online classificada como extrema.

As vítimas sentem-se humilhadas e impotentes diante dos ataques, pois não é possível medir o alcance que ofensas e agressões podem tomar, uma vez que os conteúdos podem ser acessados por um grande número de pessoas e, mesmo que não fiquem on-line muito tempo, sempre ficam tempo suficiente para causar grande estrago à vida das vítimas.

É importante que os pais estejam atentos ao comportamento dos filhos na web, sinalizem como esperam que os filhos se comportem on-line, saibam com quem os filhos se comunicam virtualmente e os encorajem a relatar qualquer situação com a qual não saibam lidar, pois o efeito psicológico da agressão pode ser devastador. Não há como mensurar exatamente o impacto emocional, para uma criança ou adolescente, de receber mensagens como “nós odiamos você”, “você não vale nada”, ou “porque você não morre?” em um período da vida que a aceitação social e as amizades são tão importantes.

katia-assinatura

Comentários:

Um comentário
  • Néia Menegussi disse:

    O Fenômeno Bullying é visto por vários grupos sociais sem muita importância. Por isso, estou realizando um artigo para a pós em Terapia Familiar como o tema: O Bullying e o Desenvolvimento da Auto estima. Se possível, gostaria de receber dados bibliográficos sobre as consequências futuras de jovens e adultos que sofreram bullying.
    Obrigada,
    Néia

Escreva uma resposta ou comentário:

ARQUIVO

FIQUE DE OLHO

Cerca de 30% dos recém-nascidos com menos de três meses de vida experimentaram açúcar e mais da metade dos bebês com menos de um ano tomam refrigerante com frequência, segundo pesquisa da Unifesp. Consequência: um terço das crianças no mundo está acima do peso ou é obesa. E crianças obesas na faixa dos 10 anos já tem artérias tão envelhecidas quanto as de adultos de 45.

Subir