Benefícios da biomassa da banana verde

A banana, que a humanidade cultiva há tanto tempo, é um dos alimentos mais consumidos pela população brasileira devido ao preço acessível e seu privilegiado valor nutricional. Na sociedade moderna o consumo da banana está normalmente restrito à fruta madura, ou seja, aquela que já passou pelo processo de maturação, e que confere à polpa uma textura mais macia e sabor adocicado. Porém, em outras culturas a banana é normalmente consumida ainda verde após o cozimento, sendo uma importante fonte de amido resistente.

A biomassa de banana verde é um purê obtido a partir de bananas verdes. Parece estranho, mas não é. Quase sem gosto, a massa é neutra e pode usada em receitas doces ou salgadas, para dar liga ou engrossar os outros ingredientes.

Uma das qualidades da biomassa é a sua alta quantidade de um tipo de fibra chamado amido resistente, que nosso corpo não consegue digerir e é fermentado por nossas bactérias intestinais. Os subprodutos dessa fermentação ajudam no controle da glicemia, do colesterol e em especial na saúde intestinal!

Um intestino equilibrado representa mais que saúde: uma microbiota intestinal desequilibrada pode aumentar a formação de fatores inflamatórios que tem alta relação com alergias, obesidade, além de doenças como diabetes e dislipidemias, que são níveis elevados de açúcar no sangue. Além disso, o intestino é a porta de entrada para muitas infecções, ou seja, se a sua barreira intestinal estiver forte você também estará!

.

Efeitos benéficos do amido resistente

biomassa-banana-verde-2-vida-e-saudeCâncer Coloretal

Vários estudos realizados nos últimos anos têm relacionado o consumo de amido resistente com um menor risco de câncer coloretal. Isso ocorre principalmente devido a um melhor funcionamento intestinal, que diminui o tempo de exposição da mucosa a substâncias tóxicas. Além disso, como o amido não é absorvido no intestino delgado, provoca alterações benéficas nas características do bolo fecal, tais como aumento de volume e textura das fezes, aumento do trânsito intestinal e excreção facilitada.

Diarreia e Doenças Colônicas

Em muitos lugares do mundo a banana verde vem sendo utilizada em tratamentos populares de diversos problemas intestinais como diarreia, dispepsias (dificuldades na digestão) e úlceras pépticas, que ocorrem normalmente no revestimento do estômago e no início do intestino delgado. A ação prebiótica do amido presente na banana verde seria a principal responsável pela atuação benéfica contra tais desordens.

Índice Glicêmico e Resposta Insulínica

O Índice Glicêmico (IG) de um alimento é dado pela velocidade da digestão do amido por enzimas pancreáticas. Alimentos com digestão lenta e baixo IG têm sido associados com o melhor controle do diabetes e também à sua prevenção quando consumidos a longo prazo.

Sabe-se que a hiperinsulinemia, ou seja, o elevado índice de insulina na corrente sanguínea, está relacionada ao desenvolvimento de doenças crônicas conhecidas como “síndrome metabólica”, clinicamente reconhecida pela presença de diabetes do tipo II, obesidade, hipertensão, doenças coronarianas e dislipidemias. Pesquisas sugerem que o consumo de amido resistente poderia diminuir as taxas de glicose e a resposta insulínica após a refeição.

Saciedade

O amido parece ter um efeito indutor da saciedade (semelhante ao das fibras), que quando associado a outros alimentos de baixo IG auxiliam nas dietas para perda ou controle de peso. Tal efeito mostrou-se mais evidente no período vespertino e noturno, o que poderia auxiliar os indivíduos que têm a chamada “fome noturna”.

Dislipidemias e Doenças Cardiovasculares

Pesquisas mostram que o consumo continuado de amido resistente auxilia também na diminuição dos níveis de colesterol e triglicérides, contribuindo no tratamento de dislipidemias e na prevenção de doenças coronarianas, que interferem na circulação das artérias . Um estudo realizado em ratos mostrou que em animais alimentados com amido as concentrações plasmáticas de colesterol e triglicérides foram menores 32 e 29% respectivamente, do que nos animais tratados com drogas específicas.

Doença Celíaca

Os celíacos – indivíduos que não podem ingerir nada que contenha glúten – têm grande dificuldade de se alimentarem já que o glúten se mostra presente em diversos cereais como o trigo, a aveia e o centeio. Pelas características físico-químicas do amido resistente, em especial aquele encontrado na banana verde, a biomassa mostra-se extremamente útil na preparação de diversas receitas como substituta dos cereais acima citados.

.

biomassa-banana-verde-3-vida-e-saude

.

Aprenda a fazer a biomassa da banana verde

Ingredientes

  • 12 bananas verdes (prefira as orgânicas)
  • Meia panela de água (a quantidade suficiente para cobrir as bananas)

Material utilizado

Panela de pressão, liquidificador, garfo, forma para gelo e pote de vidro.

Preparo

Lave as bananas verdes sem tirar o cabo da fruta. Encha a panela de pressão com metade de água e leve ao fogo para esquentar. Quando a água estiver borbulhando, coloque as bananas e tampe a panela. Espere chiar por 10 minutos e deixe a pressão passar naturalmente.

Depois disso, escorra a água da panela e tenha muito cuidado ao abrir as bananas, para não se queimar. Se preferir, utilize um garfo. Coloque a polpa da fruta – sem as cascas – para bater no liquidificador (pode ser necessário um pouco de água quente). Coloque a mistura em formas de gelo e a outra metade em um pote de vidro, por até 7 dias.

Quando utilizar a biomassa congelada, retire do congelador no dia anterior e coloque na geladeira.

Modo de utilização

Batido em vitaminas, sucos, caldo de feijão, sopa, patês, massa de pão e bolo, etc.

adriana-assinatura

Comentários:

27 comentários

Escreva uma resposta ou comentário:

ARQUIVO

FIQUE DE OLHO

Cerca de 30% dos recém-nascidos com menos de três meses de vida experimentaram açúcar e mais da metade dos bebês com menos de um ano tomam refrigerante com frequência, segundo pesquisa da Unifesp. Consequência: um terço das crianças no mundo está acima do peso ou é obesa. E crianças obesas na faixa dos 10 anos já tem artérias tão envelhecidas quanto as de adultos de 45.

Subir